quinta-feira, 29 de setembro de 2011



Para se roubar um coração, é preciso
que seja com muita habilidade,
tem que ser vagarosamente,
disfarçadamente, não se chega com ímpeto,
não se alcança o coração de alguém com pressa.”

 Luís Fernando Veríssimo

domingo, 25 de setembro de 2011

domingo, 18 de setembro de 2011


A ESCOLHA

Tudo está em silêncio.
Ainda é muito cedo. Meu café está quente.
O céu está escuro. O mundo ainda dorme.
O dia está pra chegar.
Em alguns momentos, Ele sugirá.
Despontará com o nascer do sol.
A calma da alvorada será trocada pelo barulho do dia.
A tranquilidade do isolamento será substituída pelos passos pesados da raça humana.
O refúgio da madrugada será invadido pelas decisões a serem tomadas e prazos a serem cumpridos.
Durante as proximas 12 horas ficarei a mercê das demandas diárias.
Este é o momento em que preciso fazer escolhas.
Por causa do Calvário, estou livre para escolher.


Escolho o amor...


Nenhum fato justifica o ódio; não há injustiça que justifique amargura. Escolho o amor, hoje amarei a Deus e o que Ele ama.


Escolho a alegria...


Convidarei o meu Deus para que seja o Deus da circunstancia. Recusarei a tentação de ser cínico, a ferramenta do pensador preguiçoso. Recusar-me-ei a ver as pessoas como nada menos que seres humanos, criados por Deus. Recusar-me-ei a ver qualquer problema como nada menos que uma oportunidade de ver a Deus


Escolho a paz...


Viverei o perdão. Perdoarei para que possa viver.


Escolho a paciência...


Negligenciarei as inconvêniencias do mundo. Ao invés de amaldiçoar aquele que tenta tomar o meu lugar, convida-lo-ei a fazer isto. Não reclamarei a longa espera, mas agradecerei a Deus pelo momento de oração. Ao invés de cerrar meus punhos a novas designações, enfrenta-las-ei com alegria e coragem.


Escolho a generosidade...


Serei generoso para com os pobres, por estarem solitários. Generoso para com os ricos, por estarem temerosos. E generoso para com o mau, pois é assim que Deus tem tratado a mim.


Escolho a virtude...


Prefiro ficar sem um tostão a ganhar algum desonestamente. Serei negligenciado para não ser jactante. Confessarei antes que seja acusado. Prefiro a virtude.


Escolho a fidelidade...


Hoje cumprirei minhas promessas. Meus devedores não lastimarão sua confiança. Meus associados não questionarão minha palavra. Minha esposa não questionará meu amor. E meus filhos nunca temerão que seu pai possa não retornar ao lar.


Escolho a mansidão...


Nada pode ser vencido à força. Escolho a mansidão. Se levantar a minha voz, que ela possa ser apenas em louvor. Caso cerre meus punhos, que seja em oração. Caso dê uma ordem, que seja apenas pra mim mesmo.


Escolho o autocontrole...


Sou um ser espiritual. Após a morte deste corpo, meu espírito subirá. Recuso-me a permitir que a podridão domine o que é eterno. Escolho o autocontrole. Ficarei embriagado apenas pela alegria. Comovido apenas pela minha fé. Serei influenciado apenas por Deus. Serei ensinado apenas por Cristo. Escolho o autocontrole.


Amor, alegria, paz, paciência, generosidade, virtude, fidelidade, mansidão, autocontrole.
A estes submeto meu dia.
Caso seja bem-sucedido, louvarei a Deus.
Se falhar, buscarei Sua graça.
E então, ao anoitecer, colocarei minha cabeça sobre o travesseiro e descansarei.
 
Max Lucado

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011



" Quando todas as árvores tiverem caído,
    quando todos os rios tiverem secado,
    quando todos os peixes tiverem morrido...
    Vocês vão descobrir que dinheiro não se come."
   
Greenpeace

quinta-feira, 8 de setembro de 2011



Quando meus olhos de amigo descobrem a bela mulher que vive em você,
sinto por cima dos meus ombros o amante à espera de uma chance.
À primeira vacilada, o amante que mora em mim ataca.
Com delicadeza, mas ataca. Por isso, menina, não ligue quando pouso minhas mãos em tuas pernas: hoje eu não quero mais nada. Mas o amante em mim, à espreita, te observa, te foca. O amante profeta que sou antecipa futuros — e te lambe com a língua do sonho e te vê com olhos da alma. E aguarda o momento, o mágico momento em que, felino, vai lançar-se sobre ti e tocar o teu corpo com poesia e tesão. E depois pintá-lo como Dali em noite de gala.
 
 
Edson Marques

segunda-feira, 5 de setembro de 2011



Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo,
eu tiro um arco-íris da cartola.
E refaço.
Colo.
Pinto e bordo.
Porque a força de dentro é maior.
Maior que todo mal que existe no mundo.
Maior que todos os ventos contrários.
É maior porque é do bem.
E nisso, sim,
acredito até o fim.
 

Cris Carvalho

sábado, 3 de setembro de 2011








"Entre a minha casa e a tua 
Há uma ponte de estrelas.  
Uma ponte de silêncios."

Mário Quintana

sexta-feira, 2 de setembro de 2011


GH

 REVERÊNCIA

Se não fosse você, eu andaria
a caminho do nada,
pra lugar nenhum.
Eu erraria por entre vagas abertas,
sobre páginas incertas
de um pobre verso comum.

Se não fosse você, eu perderia
a noção do sol e do vento,
de todo e qualquer elemento
que me induzisse à beleza.

Se não fosse você, eu ficaria presa
na trama dos desafetos,
dos amores incompletos
que o mundo encaixa nos cantos.

Se não fosse você, triste seria
e a memória por certo contaria
minha historia na pobreza de um clichê.

.....e eu certamente me demitiria
dos ternos devaneios da poesia.
Que seria de mim, se não fosse você?

 
Flora Figueiredo